Livros aproximam


Amamos até mesmo os que nunca lemos, pois eles fazem parte de nossa história. O desmonte de uma biblioteca nos obriga a repensar o significado dos livros, a avaliar se continuamos ou não com eles, a desfazer um contrato amoroso que dura trinta ou quarenta anos. Leia mais em Onde botar os livros?

Postei um comentário para o autor desse artigo, Ronaldo Correia de Brito: "Lindo texto! Não tenho tantos livros quanto gostaria, mas alimento por eles o mesmo sentimento que você. Até pelos que não pude ter".

A resposta, inesperada, veio delicadamente por um e-mail: "Melânia,grato pela leitura. Estarei em BH, amanhã, falando de literatura e criação. Abraço, Ronaldo".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O recado de Senna - Carlos Alberto di Franco

LYA LUFT: Medo e preconceito

Sobre eucaliptos e jequitibás - Rubem Alves